nTnD

Plataforma Webex //

Os participantes desta sessão pensam que o Zé e o Azevedo desistiram, porque não percebiam o que estavam a fazer nem para quê.

E as dúvidas levam o Eduardo a explicar novamente o projeto: que faz parte de um conjunto de ateliers e que esta parte é dedicada ao som, em particular o som que vai sendo recolhido ao longo dos exercícios.

A Eduarda usa o exemplo de um filme para tentar explicar melhor: se fosse um filme, aquilo que é feito neste atelier podia ser a banda sonora. Há quem trabalhe os diálogos entre os atores, quem trabalhe a forma como os atores se movem, e no fim, se fosse um filme juntariam tudo. Esta banda sonora ainda não está construída mas está em construção. E será feita por todos.

De que gostam? Que música lhes interessa? Que sons os incomodam? Tudo pode ser usado como material de recolha. E até nas restrições se pode encontrar material. Este não é um espaço totalmente livre. Os reclusos não podem permanecer na sala o tempo que quiserem. Não podem circular pela prisão com gravadores. É difícil a recolha de sons fora do tempo das sessões.

O Luís tem dificuldades em perceber como criar novos tipos de sons devido às condições que têm na prisão. O Rogério diz que estão presos e limitados. Mas o Eduardo lembra-lhes o nome do atelier- “Macrocosmos a partir do microcosmos”.

Na génese deste projeto está essa ideia inicial de que apesar de estarmos limitados, que a partir do quase nada conseguimos construir um mundo maior.

E na verdade qualquer coisa que efetivamente produza som pode ser um instrumento musical. A roupa. O corpo.

Se for preciso, fechemos os olhos para melhor focar no que nos rodeia. E nesta busca pelo som encontrar também uma busca pela liberdade. Pelo som viajar, sonhar, imaginar e criar.

A trilha que Eduardo mostra de seguida, é um exemplo do muito que se pode fazer com pouco. Com base nos sons recolhidos nas gravações feitas na sessão anterior, alterou-lhes a velocidade, juntou-lhes a harpa e uns sons que entram e saem de vez em quando; mais para o fim fica só a harpa e uns sons graves.

Todos escutam com atenção, atentos ao detalhe. Naquela trilha foram todos um bocadinho compositores. E há ainda muito mais por compor, a partir daqui. Deste microcosmos.